Brincar é coisa do passado...

Oi pessoas!

  Eu estava vendo um documentário outro dia (não me lembro o canal), que falava sobre a diferença da infância nos anos 70 e 80 para a de agora.
   Foram mostrados vários vídeos antigos de crianças pela rua, brincando, livres de qualquer supervisão, sujas, caindo e se levantando sozinhas, usando caixas de papelão e cabos de vassoura como brinquedo, completamente felizes... E logo depois uma imagem de uma rua de bairro residencial nos tempos atuais: completamente vazia.
  Daí começaram a mostrar o que as crianças de hoje em dia estavam fazendo enquanto as ruas estavam daquele jeito. Nossa, tinham duas irmãs que almoçavam, trocavam de roupa e faziam o dever de casa no carro, à caminho do futebol, do beisebol, da natação, e outras atividades. Elas estavam completamente exaustas, e revelaram ao repórter que o que elas mais queriam era um tempo pra descansar e  apenas brincar sem compromisso.
  Eu fiquei com muita pena.
  Será que encher a criança de coisas pra fazer, ficar arrastando a pobre de uma aula para outra estará sendo o melhor pra ela? E o mais importante: será que ela quer mesmo fazer isso tudo?
  Meu filho ainda tem 2 anos, e já me deparei com pessoas falando que a filha da mesma idade já faz balé, capoeira e futebol na creche, já vi uma criança maiorzinha, de kimono, cheia de olheiras e desanimada, sendo arrastada pela calçada rumo ao seu "treino".
  Vou me segurar ao máximo para não enfiar atividades goela abaixo do meu filho, a não ser que ele queira, e mesmo assim vou negociar bastante. Criança tem que ter um tempo livre pra pensar por ela mesma.
  Eu só comecei a fazer alguma coisa com 8 anos. Natação. E porque eu quis. Mas por que uma garotinha tão bonitinha, loirinha, magrinha, não começou a fazer balé com 3 anos de idade? Porque eu tinha mais o que fazer: brincar.

Artigo maravilhoso sobre o assunto na revista Crescer:

"Agenda lotada, não: criança tem é de brincar"

 clique aqui para degustar.

Thor fazendo o que mais gosta: arte.

16 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Gi, acredito que os conceitos estejam completamente invertidos. Não sou mãe, mas sou dinda e sou titia, o que me deixa a vontade para comentar este post. Acredito que o maior problema é que muitas mães ou pais, se sentem frustrados por algo que nunca tiveram a oportunidade de fazer ou não foram bem-sucedidos. Em virtude de tal frustração, acumulam atividades em cima das crianças. Também tem aqueles que querem ser pais de final de semana, ou seja, entopem as crianças de atividades ou deixam por conta da babá, mas nos fim de semana fazem questão de sair e exibir seus filhos e respectivas habilidades. Uma vez vi uma reportagem que contava da rotina acelerada das crianças, onde uma menininha chorando disse: "Só queria que meu pai me colocasse pra dormir." Ou seja, a criança praticamente acorda na escola e chega dormindo em casa.... Acho que todas as mulheres e homens devem pensar com amor e consciência ao optarem por ter um bebê. Na minha opinião conceber um filho é um ato de amor, não de coragem... Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo20/3/13

      Carolina,concordo com tudo q vc colocou aí.São um bando de idiotas q vivem de apresentar os filhos e expor eles a sociedade como um trofeu,nem se quer uma fralda sabem trocar.é triste,por isso q tem tantos adolescentes e jovens se drogando muito cedo.são poucas mães q fazem o q Gisele fez,ela largou tudo pra cuidar do seu filhinho,com certeza ela fez o q é certo.nota 10 pra ela.valeu carol...vanessa!

      Excluir
    2. Exato Carol, tem gente querendo só arrumar um herdeiro. É melhor distribuir pra família ou doar tudo pra instituições quando morrer. Deve ser muito ruim ser um filho criado sem o amor dos pais.

      Excluir
    3. Poxa Vanessa, obrigada. Sei que não são todas as mulheres que podem se dedicar tanto aos filhos por terem que ajudar no sustendo deles, mas dedicar pelo menos e tempo que está em casa a eles é o mínimo. Não quiseram ter filhos? Agora vão ter que criar e cuidar.

      Excluir
  3. Anônimo20/3/13

    É Gi, hoje em dia é complicado falar em brincadeira de criança. Além de afazere, muitas passam horas na frente de computadores e video games.
    Isso também é um pouco culpa dos pais, pois tem um monte deles que preferem ver os filhos fazendo coisas ao invés de leva-lo para um simples passeio de família. Tem pais que trabalham a semana inteira mal ve o filho e quando ta de folga preferem deixa-lo enfiado nos games ao invés de ver os deveres da escola, o desenho ou até mesmo saber de seus interesses. Estão matando a infancia aos poucos...Infelizmente
    Tamara

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, esses são os pais quiseram ter herdeiros, e não filhos.

      Excluir
  4. Gi, o que mais me irrita de toda essa história, são aqueles pais que proibem seus filhos de brincarem na rua ou mesmo descalços... Eu e meus primos, quando crianças, quase nunca ficávamos de chinelo. Acho saudável ficar sem camisa, ou descalço! Criança tem mesmo que acordar cedo, tomar café da manhã e ir brincar, tirar um tempinho para fazer a lição de casa, e voltar a brincar... Regra demais não serve pra criança, elas gostam de seren livres, sem ter responsábilidades, ou até mesmo esse monte de "atividade física" que os pais impõem para elas. Criança gosta mesmo é de liberta, brincar no quintal... Apesar de que, as crianças de hoje em dia são mais ligados a tecnologia, ou os pais preferem que seus filhos fiquem grudados na Tv para dar menos trabalho, aqui na casa da minha Avó ficam duas primas minhas (5 e 8 anos), elas não ficam um segundo na frente da Tv! Acho mais legal brincarem soltas! Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aposto que suas primas são muito felizes e espertas, pois podem desenvolver suas criatividades em liberdade.

      Excluir
  5. Muito legal o seu blog, mas poderia ter mais coisas sobre culinária, eu adoro programas de culinária!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ué, faz tuas gororobas que eu fotografo e posto!

      Excluir
    2. Postei a receita do bolo de bolo, seu chato.

      Excluir
  6. Anônimo20/3/13

    Oi Gi boa tarde!
    Eu vivi uma infância super divertida,onde eu pegava lata de leite vazia e enchia de areia e colocava um cordão e virava um carro.Meus pais não tinham condições de comprar bonecas e brinquedos e eu fui muito feliz.Sou mãe de um casal,larguei meu trabalho e não concluí minha faculdade,vivo pra minha casa,marido e filhos.Moro num condomínio de baixa renda onde as crianças aqui brincam de esconde,esconde,bola,bolinhas de gude e etc rsss acho o máximo,pois meus filhos estão sempre brincando e aproveitando suas infâncias,não deixo eles alienados a Tv e muito menos a Games.Tento ocupa-los com coisas legais e o principal,participo de tudo.Eles irão crescer e com certeza vão lembrar da infância feliz q tiveram.Amo demais seu blog...bjão

    Vanessa Amaral

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns Vanessa!! Eu há pouco tempo morava em um condomínio de casas, e as crianças brincavam muito, de tudo também! Isso é muito legal.
      E eu também brinquei muito com esses carrinhos feitos de lata. eu colocava atrás do da lata de leite umma de óleo, só que vazia.
      Bj

      Excluir
  7. Culinária foi otimo rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu marido é um babaquinha Gabriel!

      Excluir

Comentários: