Reais necessidades.


Oi pessoas!

  Começo o texto com uma frase:

"Me dá um celular de presente de aniversário mãe? Todo mundo na minha sala tem!"

   Escutei de uma menina de mais ou menos 11 anos, cuja família não tem condições de dar tal aparelho pra uma criatura que vai usá-lo como brinquedo.

  Afinal, do que você realmente precisa? Será que um dia estaremos satisfeitos com o que temos ou podemos ter?

  Quando eu era criança muitas amiguinhas da escola apareciam com brinquedos e acessórios que eu também gostaria muito de ter, mas como eu sabia que meu pai não podia comprar eu nem pedia pra ele. Sei que faria um esforço enorme pra satisfazer meu capricho; mas que preço ele realmente pagaria pra comprar uma coisa de que eu poderia muito bem viver sem? Eu não podia permitir que ele deixasse de comprar algo importante pra obra da nossa casa, ou que atrasasse a mensalidade da nossa escola só por causa de uma boneca!
  
  A década de 80 foi muito difícil para muitas famílias, e, pelo que me lembro, pra minha também foi. Nunca passamos fome, mas a receita de casa era dividida com bastante cautela. E acredito que isso foi muito bom para a construção da minha consciência financeira. 

  Não me recordo de fazer alguma pirraça porque minha mãe disse que não dava pra comprar tal coisa pra mim. O que tenho na memória é eu ou meu irmão em alguma loja perguntando se tal produto era muito caro, rs.

  Daí veio minha adolescência; e quando passei nos testes para ser Paquita, de um mês para o outro eu passei a ganhar um salário maior que do meu pai. E tudo só pra mim. Que sujeito em plena puberdade não iria enlouquecer com isso?

  Pois bem. O que eu fiz a partir de então? Gastei tudo feito uma louca? Claro que não!! Eu tive educação financeira também!!

  E como eu sempre costumei dar satisfação da minha vida para meus pais, perguntei a eles se eu poderia gastar todo o meu salário apenas no primeiro mês pra comprar quase tudo que eu queria na época, e a partir do segundo começar a guardar. Lógico que deixaram, pois afinal de contas aquela grana toda era minha, fora que eles confiavam em mim.

  Comprei vídeo game, vários eletrônicos, um monte de bugiganga, fiz a festa!! Só não comprei roupa porque eu nunca gostei muito. E, como prometido pra mim mesma, depois do segundo mês fui guardando o que restava dos meus gastos com meu emprego.

  Bom, o tempo passou, fui conseguindo investir minha grana direitinho e hoje vivo muito bem, fazendo o que gosto (dentro dos meus limites, claro). Meu pai também conseguiu evoluir dentro da carreira, e hoje, aposentado, quer comprar tudo que vê pela frente pros filhos e netos.

 " Mas porque essa volta toda, cara blogueira? E o assunto da menina do celular? Viajou?"
  
  Acredito que o dia que as pessoas pararem de comprar porque "todo mundo está usando", elas serão mais realizadas. Será que não enxergam a propaganda gratuita que estão fazendo quando ficam colocando fotos nas redes sociais mostrando a marca na lateral do óculos (que é segunda linha nos EUA e Europa, tá!)? Ou agora, aquele boné feminino com a grife de nome repetido bordada na frente? Aquela camisa de gola (que fica esgaçada na primeira lavagem) com o tal jacarezinho? Alô!!! Pagam caro pra eles ganharem ainda mais? Que inteligência!!

  E roupa de criança? Vichi!!! Olha, é um absurdo. A qualidade daquela roupa do felino e da roedora são iguais ou piores de que qualquer loja de departamento, e os pais financiam aquilo em 12 vezes pro filho ir na festa do amiguinho na moda. Aí a pessoa viaja pra comprar roupas em pontas de estoque e outras lojas de departamento de Miami, tudo fininho, pra tirar onda aqui? Ai Sessuissss!!! Olha, eu vou viajar ano que vem pra comprar um monte de coisas pros meus filhos, mas porque são muuiiito mais baratas (e algumas são bem divertidas), e roupas estão no fim da lista, porque querer dar uma de chique com aquelas vestimentas, hum... não dá não!! As grandes lojas brasileiras dão de 10 a 0 na qualidade. E nós nos planejamos pra isso, não vamos vender a alma pra operadora do cartão de crédito nem pra financeira!

  De que adianta você financiar um carro 0km em 256 vezes se sua casa está caindo o reboco na cabeça e cheia de infiltração? Pra quê comprar roupa de grife se você as guarda em um armário lotado de cupim, caindo aos pedaços e dormindo no chão? Essas são suas reais prioridades? Jantar no restaurante da moda pra postar foto na net e depois não ter a grana toda pra pagar o aluguel? Fugir dos cobradores?

  Se você tem grana pra comprar o que quiser, viajar pra onde bem desejar sem comprometer outras áreas da sua vida, vai em frente que é bom demais!! Agora, comer ovo e arrotar caviar... se for sua real necessidade... arque com as consequências.

fonte: facebook

SIGAM O BLOG!!
CURTAM A PÁGINA NO FACEBOOK!!
COMENTEM!!

BJS E FIQUEM COM DEUS.



  

4 comentários:

  1. Anônimo30/11/13

    Eu fui criada exatamente igual a você! Lembro que na época do patins, eu ganhei uma normal, aqueles de 4 rodas normais, mas era de botinha. Quem me deu trabalhava no programa da Mara Maravilha e era o patins que ela usava la. Nossa, fiquei toda feliz, pois todos tinham o tal roller, mas meus pais não podiam comprar. Viviam tirando sarro da minha cara devido ao meu patins ser antigo, mas além de eu gostar muito dele, ganhei várias corridas que faziam aqui na rua hehe.
    Eu ganhei meu primeiro celular com 14 anos, e o mesmo ainda era tão antigo que nem enviava mensagem. Com 14 anos comecei a trabalhar de verdade, e também estudava ai comprei meu roller e viajei para realizar parte do meu sonho. Ainda vou voltar para realiza-lo por completo...rs
    Por isso o Brasil não vai para frente, é muita gente com coisas fúteis e brigando por coisas que eles poderiam ter e passam por cima achando que é obrigação de ganhar e não de lutarem para ter.
    Fazer o que...cada um é cada um
    Tamara

    ResponderExcluir
  2. Muito realista!! Ameeiii!!

    ResponderExcluir
  3. Gi amei!!!!! Disse tudo! É exatemente desse jeito mesmo! Muita gente por aqui quer ser o que não é! Eu não aguento com certos metidos a ricos dessa cidadezinha onde moro... (o fim) o pior.. é quando vc pode comprar e eles como não viajam querem competir com vc (sendo que vc não está competindo), vc simplemsmente compra, comprou porque teve como! Eles não viajam não sei porque né, se se denominam "ricos") e compram pela net e viram pra vc e falam assim---> ah! vi um tênis igual ao do seu filho... na internet tem vendendo!
    Putz.... hello-oow!!! Claro que tem na internet! aff!!!! O negócio é que eles querem dizer que vc comprou fora do país, mas que na internet tem também aff! Tipo: vc viajou, comprou fora mas se eu quiser compro igual pela net (santa ignorância) a inveja é dose!!!! Compro as roupas de Filip e as minhas fora porque graças a Deus tenho essa possibilidade...e faço assim muita economia, porque como vc disse aqui é um absurdo. Não me importo muito com marca, e sim com a qualidade! Muitas vezes peças de nomes desconhecidos superam muitas outras que só tem nome e preço!

    ResponderExcluir

Comentários: